Marketing / Sage Partner Program

FY22 será o ano da Subscrição

A partir deste ano fiscal vamos descontinuar o modelo tradicional de licenciamento e passar a operar unicamente através da subscrição mensal, dando assim mais um passo para sermos uma “Great SaaS Company”.

A evolução está no ADN da Sage, e é por isso que já há muito tempo que temos o nosso portefólio preparado para a cloud, de forma a podermos antecipar tendências e tirar o máximo partido do modelo SaaS. O objetivo da Sage para o novo ano fiscal é continuar a caminhar no sentido de nos tornarmos uma das melhores empresas de SaaS (Software as a Service) do mercado.  O SaaS é o futuro e queremos continuar a acompanhar o canal de Parceiros na sua transição – gradual, mas urgente – para esta realidade. Isso significa ter todo o nosso portfólio em SaaS, uma transição que já está em curso também no segmento Mid-Market. FY22 será também o ano da subscrição e que já não será possível aos Parceiros venderem mais novos negócios em licenciamento tradicional.

O software por subscrição é um modelo flexível e obrigatório na preparação para o SaaS com a vantagem de expandir de acordo com o negócio dos Clientes, porque lhe permite contratar apenas os recursos de que necessitam para fazer frente às suas expectativas de crescimento. Os negócios baseados em serviços por subscrição são uma tendência em alta, em particular nas empresas tecnológicas. Segundo o relatório Subscription Economy Index 2020, as empresas SaaS cresceram mais de 350% entre 2012 e 2019. E segundo um estudo da Gartner, cerca de 80% dos fornecedores de software devem adotar os modelos cloud e por assinatura, prevendo que o mercado global SaaS cresça acima dos 15% este ano. 

A partir deste ano fiscal vamos descontinuar o modelo de licenciamento tradicional e passar a operar unicamente através da modalidade de subscrição mensal, dando assim mais um passo para sermos uma “Great SaaS Company”.

 

Vantagens da subscrição para os Clientes

Importa sublinhar que o modelo de assinatura, baseado no pagamento recorrente, tem vantagens para os Clientes que pagam continuamente pelo acesso a um bem ou benefício, em vez de adquirir um produto ou serviço uma única vez. Um exemplo clássico são as operadoras de streaming como Netflix e Spotify, que cobram uma assinatura para conceder o acesso a um amplo catálogo de filmes, séries e músicas. Outra das vantagens para o Cliente é deixar de se preocupar com a data de vencimento do pagamento e ter mais conveniência na compra, diluindo o investimento num custo anual mais baixo e previsível, o que facilita a gestão de tesouraria. Por outro lado, caso o Cliente fique insatisfeito por algum motivo, ou perca o interesse pelo serviço, ele pode descontinuar a sua utilização sem incorrer em mais pagamentos.

Por todas estas razões, o FY22 será definitivamente o ano da subscrição, deixando de ser possível continuar a vender mais NCAs em licenciamento tradicional. Pedimos aos nossos Parceiros que comuniquem as vantagens da subscrição aos seus Clientes e Prospects.

 

Hugo Oliveira
Mid-Market Director