Tendencias

Mantenha o seu cérebro em forma no pós-férias

O cérebro, o músculo mais poderoso do ser humano, requer um treino contínuo. Esse esforço é particularmente importante logo após o período de férias, durante os quais o cérebro tende a ser menos exercitado. Conheça alguns conselhos que lhe permitirão manter a sua mente em forma para os desafios que se avizinham.

 

Manter o cérebro jovem e com um elevado desempenho exige um esforço contínuo. Realizar um treino cognitivo regular ajuda a manter um cérebro ágil, sendo desejável introduzir novas práticas que saiam da rotina de modo a favorecer a criação de novas conexões neuronais. Reunimos alguns exercícios que, segundo os especialistas, podem ser praticados diariamente e que servem para maximizar as capacidades da mente, melhorar a memória e manter, em suma, o seu cérebro em forma.

 

Faça exercício físico

Há muito que é conhecida a correlação entre corpo são e mente sã. Os exercícios aeróbicos regulares dão ao nosso cérebro uma injeção de nutrientes e oxigénio, sendo, por isso, um grande aliado para manter a mente sã. Um estudo recente concluiu que um grupo de pessoas que andava de bicicleta 30 minutos por dia, tinha melhor capacidade de recordar nomes e datas do que aqueles que não o faziam. Para melhorar a sua preparação mental, faça, pelo menos, 30 minutos de atividade física em dias alternados.

 

Exercite o seu cérebro

A ginástica cerebral é essencial para manter a mente ativa. O neurocientista Lawrence Katz, autor de Mantenha o seu Cérebro Ativo explica porque, apesar de o cérebro não ser um músculo, ele é, de certa forma, “elástico”. Larry Katz aconselha uma serie de exercícios que ajudam a mudar completamente as suas rotinas. Segundo ele, fazer exatamente o oposto das nossas ações automáticas força o cérebro a permanecer em forma. Outro investigador, Paul Dennison, autor do best-seller Brain Gym, propõe exercícios que aumentam o fluxo sanguíneo para o cérebro e melhoram a comunicação entre os hemisférios.

 

Alimente-se saudavelmente

Uma dieta pobre em glicose e rica em fibras, com quantidades moderadas de gordura e de proteína, decompõe-se mais lentamente no nosso organismo do que os alimentos com alto índice glicémico, tais como os doces, massas ou cereais açucarados. Prefira alimentos que provocam uma digestão fácil e movimentam um melhor fluxo de energia para o cérebro. Paralelamente, siga uma dieta rica e variada em alimentos com bons nutrientes, tais como, entre outros, os frutos vermelhos que contêm antioxidantes; a beterraba que melhora o fluxo sanguíneo, ou a curcuma que é um poderoso anti-inflamatório.

 

Faça testes de memória 

O Google é uma ótima maneira de pesquisar informação e descobrir novos conhecimentos. Mas, de vez em quando, lembre-se de exercitar a sua memória sem precisar de recorrer a um motor de busca sempre que tem uma dúvida. Os testes e jogos de memória, tão populares na era pré-internet, são um método excelente para conservar a mente ativa.

Vigie a saúde mental

As doenças cerebrais (desde as neuro-degenerativas, como a doença de Alzheimer ou a de Parkinson, aos acidentes vasculares cerebrais, até às neoplasias e a epilepsia) tornaram-se um grande problema de saúde da sociedade moderna, devido ao acréscimo da esperança de vida e aos novos estilos de vida que geram stress e ansiedade. Mas existem outras doenças em ascensão, tais como a diabetes tipo II, obesidade e hipertensão, que também afetam o cérebro ao estarem associadas ao risco de declínio cognitivo e perda de memória.

Durma bem

Há cada vez mais evidências de que uma boa noite de sono é um dos fatores que mais impacta na saúde. A falta de sono crónica está ligada ao declínio cognitivo na velhice, ao passo que dormir bem ajuda o cérebro a livrar-se de toxinas que causam Alzheimer.

 

Consuma Omega 3

Os ácidos gordos essenciais, como o ómega 3, desempenham um papel fundamental em muitos dos processos cerebrais fundamentais do ser humano. Além disso, segundo os especialistas, influenciam a expressão genética, o fluxo sanguíneo cerebral, os níveis dos neurotransmissores, e outros processos mentais, tais como a produção de novos neurónios. O ómega 3 pode ser obtido através de alimentos tais como sementes de linhaça ou de chia, peixes “gordos” (salmão, sardinha, anchova ou cavala) e vegetais como o espinafre.

 

Relaxe

Os cientistas afirmam que a promoção de um estilo de vida equilibrado e a prática diária de atividades relaxantes (tais como a meditação, ioga, taichi, etc.) melhoram o seu estado mental e retardam o declínio da memória. Segundo eles, o relaxamento aumenta o volume cerebral e as zonas associadas à reflexão, tomada de decisões, memória, gestão de emoções e empatia e reduz o tamanho da amígdala (relacionada com a resposta à ansiedade, medo e o stress).

 

Seja curioso

Quanto mais aprendemos, melhor se torna o nosso cérebro. A chave é evitar a rotina, ser curioso, aprender continuamente e experimentar coisas novas. O seu cérebro, tal como o seu corpo, precisa de ser posto à prova com novos desafios para se manter ágil e motivado.

 

Seja otimista

O bom humor é o melhor aliado da saúde mental. A característica mais marcante de um cérebro jovem é o otimismo, a famosa resiliência de Boris Cyrulnik: superar frustrações, digerir traumas e colocá-los de lado para podermos olhar para o futuro com esperança.