Entrevistas

5 perguntas a José Lopes

Nesta entrevista especial, dedicada aos 40 anos da Sage, José Lopes, Partner Account Manager e um dos colaboradores mais antigos da empresa, afirma: “A Sage, como foi seu timbre ao longo dos 40 anos, terá um papel relevante e de liderança nesta nova era digital.  Destaco, por exemplo, a aposta no Arquivo Digital, dirigido aos Gabinetes de Contabilidade, que permite a partilha e salvaguarda de documentos digitais, automatizando os lançamentos contabilísticos”.


Há quanto tempo trabalha na Sage? Pode descrever-nos a sua função?

Iniciei a minha carreira em 1987 como técnico de suporte na empresa Infologia, adquirida posteriormente pela Sage no ano 2000. Fui, entretanto, convidado a integrar no Departamento Comercial, onde permaneço até ao presente.  Atualmente exerço funções como Partner Accountant Manager, tendo como responsabilidade principal a gestão de uma carteira de Parceiros na área de Financials.

Esta gestão vai desde a prospeção de novos Parceiros, caso estrategicamente se justifique, até ao acompanhamento permanente e personalizado de cada um dos parceiros, sempre com o intuito de angariação de novas oportunidades de negócio e identificar necessidades que o mercado exige. O objetivo principal da função Partner Account Manager, é assegurar que cada Parceiro maximize as suas potencialidades e dessa forma obtenham êxito nas suas organizações.

 

Que feedback sobre o Sage Partner Program tem recebido por parte dos Parceiros, designadamente os do segmento Sage for Accountants?

O Sage Partner Program (SPP) é fundamental numa relação de parceria como a existente entre a Sage e a sua comunidade de Parceiros. Tratando-se de um instrumento que regulamenta e oferece uma estrutura de apoio ao negócio, define todas as vantagens e obrigações de ambas as partes.

Genericamente os Parceiros que trabalham em particular com o mercado dos Profissionais de Contabilidade, valorizam a transparência, estabilidade e ambição que o SPP propõe.  É por isso uma ferramenta que os parceiros valorizam, contribuindo ao longo do ano com sugestões tornando o Sage Partner Program cada vez mais ajustado ao esforço e ao reconhecimento de cada Parceiro.

 

A Sage comemora este mês o seu 40º aniversário: quais foram as mudanças mais relevantes que, na sua opinião, ocorreram desde então?

Num setor tecnológico onde a Sage se insere, 40 anos impactam múltiplas e constantes novas experiências, provando a resistência e capacidade de resposta ao longo do tempo, mas principalmente liderança e inovação.

Nestas quatro décadas, a crescente procura por software em organizações de menor dimensão, criou a necessidade de soluções de software de custo acessível. Esta circunstância levou ao crescimento de metodologias de desenvolvimento de software mais simples, desde os requisitos até à implementação de forma mais rápida e fácil, resultando produtos cada vez mais “user friendly” e funcionalmente mais completos.

Saliento igualmente a evolução do modelo de comercialização do software, passando de um modelo tradicional baseado na aquisição de uma licença, muito materializado e documentado, até ao modelo de comercialização SaaS, total ou praticamente desmaterializado, onde o cliente paga um serviço pela utilização do software.

 

E como vê os desafios do futuro? Crê que a Sage continuará a desempenhar um papel de liderança no apoio à digitalização das empresas portuguesas?  

Sem dúvida. O Digital está já no nosso quotidiano.  Estou convicto que será certamente mais uma “revolução” na nossa atividade, como foram durante os últimos 40 anos muitas outras que mudaram a nossa vida pessoal e profissional.

A Sage, como foi seu timbre ao longo dos 40 anos, terá um papel relevante e de liderança nesta nova era.  Destaco a título de exemplo, a aposta da Sage no Arquivo Digital, dirigido especialmente aos Gabinetes de Contabilidade, permitindo a muitos utilizadores a partilha e salvaguarda de documentos digitais, automatizando os lançamentos contabilísticos. 

 

Como é que os Contabilistas estão a reagir a este momento desafiante? Já existem sinais positivos quanto à recuperação dos negócios pós-crise?

Os profissionais de Contabilidade, vivem certamente períodos muito complexos e desafiantes, como refere. Apesar das dificuldades inerentes à pandemia, foram em muitíssimos casos o suporte para a manutenção de muito do nosso tecido empresarial.

Acredito que a fase do “Cabo das Tormentas” tenha sido já ultrapassada. É certamente a convicção dos nossos Contabilistas como profissionais experientes e conhecedores que o são.  A progressiva abertura ou retoma da economia aliando a perspetivas de apoio anunciadas, tem levado a que novas empresas tenham surgido, alavancando paulatinamente os novos negócios.


José Lopes

  • Cargo: Partner Account Manager
  • Local: Matosinhos
  • Experiência profissional: Support Services, Sales representative, Account Manager
  • Hobbies: Viajar, Leitura , Caminhadas , família ,amigos e futebol na ótica de espetador…
  • Citação/frase inspiradora: “Cada sonho que deixas para trás, é um pedaço do teu futuro que deixa de existir”, Steve Jobs
  • Contacto: [email protected]