Blog Sage

O Contabilista Certificado em tempos de pandemia

Muitos segmentos da atividade económica se viram estagnados ou em desaceleração de atividade, motivados pela pandemia, provocada pelo Coronavirus. O mundo praticamente parou, ficando em modo “standby”, na expetativa do imprevisto. No entanto, para os Contabilistas Certificados, a leitura é perfeitamente oposta. Com a pandemia tudo se redimensionou e exigiu uma mudança urgente e velocidade na resposta, que nem sempre surgiu de forma clara e rápida.

Foi certamente um desafio único, inesperado, confuso e com um ingrato sentimento de impotência, onde poderemos destacar 3 momentos desafiantes nos quais o Contabilista Certificado foi gerindo prioridades e se foi superando:

  1. Mudança abrupta do paradigma “casa-trabalho”, para uma nova realidade – “casa-casa”.
    De um dia para o outro, a casa transformou-se num misto de lazer e trabalho. Num primeiro impacto, a prioridade foi dada à criação das condições de trabalho – acesso aos sistemas de informação, à documentação dos clientes, a ferramentas online para comunicação com clientes e colegas, entre outros ajustes exigidos. Mas em simultâneo e não menos importante, o Contabilista Certificado teve de lidar com a necessidade de foco e de silêncio, para exercer a sua função de tanta responsabilidade, e a gestão da sua vida pessoal – família, lida doméstica, tempo de lazer, etc.
  2. Foco no apoio ao Cliente.
    A segunda prioridade foi a dedicação ao cliente, apoiando nas situações urgentes, sugerindo ajustes em processos e no negócio. Ajudá-lo a adaptar-se à realidade do digital, a novas estratégias e ao recurso a incentivos disponibilizados pelo governo, bancos e outras entidades.
    A especialização na nova legislação foi e continua a ser uma constante e nem sempre de fácil entendimento. No caso dos incentivos que foram sendo decretados, esta foi uma realidade acentuada pela dificuldade de acesso a esclarecimentos junto de entidades públicas e privadas, onde tradicionalmente se recorreria ao acesso presencial, por forma a agilizar a obtenção de resposta.
  3. Lidar com a incerteza, adaptando-se no curto prazo.
    Passado o momento da surpresa da inesperada COVID19 e do seu impacto, estando já adaptado à nova realidade, concretizado um primeiro apoio ao cliente, em particular no que respeita à obtenção de todos os incentivos possíveis, o Contabilista Certificado encontra-se num novo desafio – a gestão no curto-prazo.
    Um exemplo recente respeita à mudança de regras do layoff, que implica uma vez mais, a especialização do Contabilista Certificado, para o qual se ajusta rapidamente. Para além da especialização, as novas regras exigem ao Contabilista Certificado cálculos menos automáticos, que se traduz em mais tempo, mais trabalho.

Passado um período desafiante, de superação, mas onde a incerteza está ainda muito ativa, poderemos questionar: terá o Contabilista Certificado de lidar com esta incerteza por muito mais tempo? Será este um período que passará, voltando tudo à normalidade como a conhecíamos antes desta pandemia?

 

Será que a inovação digital veio para ficar?

Poderemos colocar muitas interrogações sobre o futuro, no entanto, há uma certeza – esta crise veio mudar comportamentos e prioridades. Permitiu-nos parar para pensar, experimentar novas abordagens, reinventar experiências. Dela emergiram temas como a sustentabilidade e o digital. O digital que era visto como o “futuro” passou a ser o “agora”. A onda de “emergência” causada por esta pandemia levou-nos a mergulhar no universo digital, a “velocidade cruzeiro” e em múltiplas dimensões: no teletrabalho, na comunicação com o cliente, na troca de documentos, na aquisição de bens e serviços, etc. Será que viveremos a digitalização como vivíamos antes da pandemia? Parafraseando Nelson Mandela, “it always seems impossible until it´s done”.

A inovação digital é hoje uma realidade que veio para ficar. Provavelmente o teletrabalho será mantido num sistema híbrido (teletrabalho e presencial). Será comum nas organizações a introdução de qualquer novidade na gestão que permita novos e mais ágeis processos e/ou novos serviços, mais adequados ao mercado nos tempos atuais e/ou que gerem maior segurança na transmissão de informação.

A experiência que podemos retirar das outras crises anteriores, é de que tudo muda após uma crise e que dela surgem oportunidades, novos interesses e, consequentemente, novas atividades.

 

O que se espera do Contabilista nesta era digital?

Para o Contabilista Certificado surge uma enorme oportunidade de se modernizar, criando uma proposta de valor ao cliente reforçando o seu papel de consultor. A inovação digital é sem dúvida uma aposta que se aconselha, quer do ponto de vista de permitir agilidade nos processos, segurança e proximidade com o cliente quer pela relação custos/benefício. Um bom exemplo é a oportunidade de digitalização e automatização dos documentos de suporte da contabilidade que tradicionalmente se arquivam em pastas e que representam um custo elevado no que respeita a armazenamento, impressão, dossiers e agrafos e que podem ser facilmente transformados em arquivo digital, com potencial de redução significativa de custos e com enorme contributo na redução da pegada ecológica das empresas de Contabilidade. Outros benefícios residem numa maior segurança da informação e na modernização do serviço ao cliente, mais eficiente, sem necessidade de deslocações e perda de tempo para troca de documentos.

Concluo reforçando que este é o momento de aceitarmos e enfrentarmos um novo padrão de consumo e reinventarmos o futuro. Que pode ser mais simples, mais agradável, mais sustentável, mais valorizado. Que pode permitir uma verdadeira qualidade de vida a este profissional que tão heroicamente acompanha o tecido empresarial português em todos os momentos bons e menos bons, em todas as mudanças legais e obrigatórias, em todos os prazos apertados… – o Contabilista Certificado.


Paula Teixeira

Sales Manager na Sage Portugal