Opinião

Na Sage, cuidamos das pessoas acima de tudo, por Susana Hidalgo, People Director Sage Iberia

Que aprendemos desta crise? Que lições podemos retirar para o futuro? Agora é hora de rever como vamos trabalhar na segunda metade do ano fiscal, neste novo ambiente. Agora é a hora de contribuir para que a Sage continue a ser sustentável sob todos os pontos de vista. Agora, além do teletrabalho, faz-nos falta o “teleamor”.

 

Após três meses do anúncio do estado de alarme, olho para trás e sinto que tudo o que vivemos durou apenas alguns dias, apesar de ter sido, pessoalmente, uma das piores experiências da minha vida. A minha família não foi imune ao COVID-19, tal como muitos dos nossos colegas da Sage e dos nossos amigos e conhecidos. O meu pai chegou a estar num estado muito grave, sozinho num hospital e eu só tinha acesso a ele através das notícias intermitentes sobre a sua condição que fui recebendo dos profissionais de saúde. Felizmente, o meu pai já está em casa agora, recuperando pouco a pouco. Envio a todos vós que, como eu, sofreram esta crise na pele, um abraço sentido, de coração.

 

Como vivemos na Sage todo esse processo?

Na Sage, estávamos preparados para o teletrabalho, não apenas tecnologicamente, mas também do ponto de vista cultural. Poucos dias antes do estado de alarme, 100% da força de trabalho já estava em casa, atendendo aos nossos Clientes e Parceiros como sempre fizemos. Na última reunião da equipa de Capital Humano, perguntei qual foi a grande lição que eles retiraram da experiência de não estarem juntos todos os dias no escritório: Estas foram as principais respostas:

  1. Antes de tudo, preocupação com a saúde e a segurança das pessoas.
  2. Flexibilidade e adaptação rápida a ambientes em mudança. Seguindo as teorias darwinianas, “não é o mais forte que sobrevive, mas sim aquele que se adapta mais rapidamente às mudanças”.
  3. A união de famílias, amigos, equipes de trabalho … foi incrível, apesar de estarmos fisicamente separados. Agora, além do teletrabalho, faz-nos falta o “teleamor”. Também falamos sobre “a distância que nos une”. Ou seja, da colaboração que se torna ainda mais necessária quando não nos vemos.
  4. Confiança plena nas equipes. Deixemos de controlar quantas horas aquecemos as cadeiras no escritório. As pessoas devem ser orientadas para objetivos. E isso requer responsabilidade solidária.
  5. Otimismo e resiliência são elementos fundamentais para avançar, mesmo nos piores cenários sanitários e económicos. Na Sage, impactamos as PMEs, que constituem a maioria do nosso tecido empresarial. Devemos estar ao seu lado para ter sucesso.
  6. Cada problema gera uma oportunidade, o que não significa ser oportunista.
  7. Transparência e comunicação são ferramentas fundamentais para manter a confiança. Para que as equipes sintam que nos preocupamos e lhes contamos sempre a verdade.

Em resumo, implementamos um regime de teletrabalho no qual cuidámos das pessoas acima de tudo, atendendo às suas necessidades desde o primeiro momento. Por esse motivo, os 1.400 colegas da Sage Iberia, em Espanha e em Portugal, responderam nos nossos inquéritos internos, que estavam satisfeitos com a forma como a obrigação de trabalhar em casa foi gerida pela Sage.

Isso só pode ser feito através da escuta ativa e da auscultação periódica. “Always on Listening”, foi o mote da nossa intranet que nos permitiu conhecer as necessidades dos funcionários em tempo real. Além disso, eles receberam o apoio psicológico necessário por parte do nosso departamento de Health & Safety, que contou com a ajuda dos Psicólogos Sem Fronteiras e de uma equipe de voluntários da Sage que estiveram sempre presentes para acompanhar quem mais precisava. Também fornecemos bem-estar físico às pessoas, entregando material ergonómico (cadeiras, monitores, teclados etc.) nas residências dos nossos funcionários para eles poderem trabalhar da maneira mais saudável e confortável.

A comunicação constante foi a principal ferramenta para responder às dúvidas sobre o coronavírus ou sobre os protocolos de ação para prevenir contágios. Os nossos líderes participaram em entrevistas ao vivo, nas quais os colegas puderam partilhar diretamente as suas preocupações a qualquer momento. Também realizamos sessões de aconselhamento com especialistas para manter o equilíbrio pessoal, os cuidados e a educação de crianças ou o dos membros mais velhos da família, enquanto trabalhavam em casa. Juntamente com a Sage Foundation, também conseguimos continuar a apoiar a comunidade através de ações de voluntariado virtual, realizadas a partir de casa.

Paralelamente, através do nosso processo de avaliação de desempenho, procuramos reorientar os objetivos das pessoas para as novas prioridades que decorreram da crise sanitária. Agora é hora de rever como vamos trabalhar na segunda metade do ano fiscal, neste novo ambiente. É hora de contribuir para que a Sage continue a ser sustentável sob todos os pontos de vista. Também devemos pensar em como podemos ajudar os nossos Clientes e Parceiros a fazer as coisas de maneira diferente, mantendo a consistência com nossos pilares estratégicos: Customer Success, Colleague Success e Innovation.

 

Juntos, conseguiremos mais uma vez!

 

Susana Hidalgo Otí
People Director Sage Iberia