Opinião

Sage Partner Program adapta-se aos desafios do COVID-19

Josep María Raventós, Country Manager da Sage Portugal, explica o plano que a empresa está a colocar em prática para ajudar os seus Parceiros e Clientes a ultrapassar a atual crise provocada pelo novo Coronavírus.

COVID-19, ou o novo Coronavírus, veio mudar radicalmente a maneira de trabalhar. Prevê-se que vá chegar muito em breve uma crise financeira profunda, mas, atualmente, já existem muitos negócios fechados por força das medidas de contenção ou que só agora – depois de mês e meio – voltam a reabrir.

Com o período de pandemia na mente, a Sage decidiu adaptar o seu Programa de Parceiros para que o Canal possa ter “métricas de negócio mais justas”, explica Josep María Raventós, Country Manager da Sage Portugal.

O executivo explica que todos os colaboradores da Sage trabalham “a partir de casa, em segurança”, e dispondo “de todo o equipamento tecnológico necessário para desenvolverem o seu trabalho sem qualquer condicionante”.

A segunda prioridade foi “assegurar a continuidade de negócio dos nossos clientes e Parceiros”. Neste ponto, refere, foi necessário “um trabalho minucioso de redefinição das prioridades” das equipas para que pudessem estar “100% focadas no desenvolvimento daquilo que era (e é) mais urgente neste momento”.

 

Apoio a Parceiros e Clientes 

Josep María Raventós refere que para dar um apoio “incondicional e sem constrangimentos”, a Sage vai dar “suporte especializado e medidas de apoio ao desenvolvimento dos seus negócios”.

Para os Parceiros e gabinetes de contabilidade, que, indica, “têm tido um papel fundamental para facilitar a continuidade de negócios dos nossos clientes“, foram “ajustados alguns benefícios comerciais do Sage Partner Program [SPP] para que possam trabalhar com métricas de negócio mais justas”.

Com vista a apoiar os seus clientes, a Sage criou uma equipa dedicada para compreender a realidade atual dos seus negócios e as suas principais necessidades e planos a curto prazo. Depois, foi criado “um plano de ajuda dedicado a apoiar clientes cujos negócios tenham sido afetados pelas medidas do Governo”, como o encerramento temporário total ou parcial da sua atividade. Este plano de ajuda consiste “numa maior flexibilização de pagamentos, para que, mesmo em condições adversas, possam continuar a trabalhar com os nossos produtos e serviços”.

Raventós reforça, ainda, que a Sage continua a defender que “o conhecimento e a digitalização” como meios fundamentais. Assim, “cumprindo com o compromisso contínuo e afincado de promoção destes conceitos, temos focado grande parte do nosso trabalho em providenciar aos nossos clientes e Parceiros um vasto leque de formações contínuas e gratuitas através da Sage University, não só relacionadas com as soluções Sage, mas também com temáticas mais abrangentes, como por exemplo o impacto da situação atual nas relações jurídico-laborais; ou temas essenciais como o teletrabalho e a ‘Gestão das Emoções’”.

 

Desafios para o Canal de Parceiros

Durante esta fase, o Canal tem enfrentado vários desafios. No caso dos Parceiros da Sage, Josep María Raventós acredita que o Canal deve “apoiar os clientes na implementação de recursos que lhes permitam aceder remotamente e em segurança às várias plataformas da empresa que são indispensáveis para o desenvolvimento do negócio”.

Depois, e não menos importante, prende-se com “a ajuda que têm de prestar aos clientes no alojamento das suas soluções de gestão em servidores cloud para que possam continuar a gerir os seus negócios de forma remota”.

Raventós reforça, ainda, que o trabalho “dos nossos Parceiros tem sido incansável e absolutamente fundamental no apoio ao desenvolvimento dos negócios dos nossos clientes, para que as empresas continuem a funcionar na medida do possível, e sem eles decerto não estaríamos a enfrentar esta situação da forma capacitada como o estamos a fazer”.

 

Artigo publicado originalmente em IT Channel.