Parceiros

INFisi: O Parceiro dos Parceiros Sage

Fundada em 2005 por quatro ex-colaboradores da Sage, a INFisi ocupa uma posição singular no ecossistema Sage, potenciando a relação dos Parceiros com os clientes.

O engenheiro Manuel Anjos é um dos quatro fundadores originais da INFisi, empresa de Matosinhos cuja relação com a Sage é, mais do que funcional, emocional – não fosse ele um dos quatro elementos que, em 2005, saíram da Sage para se estabelecerem por conta própria e criarem soluções de valor-acrescentado sobre a plataforma.

“Definimo-nos como um ‘parceiro implementador’, com uma posição que é de alguma forma ‘abaixo’ da Sage e ‘ao lado’ do parceiro que vende o software, desta forma ajudando-o a estar mais próximo do cliente final e a fidelizá-lo”, explica Manuel Anjos.

Na realidade, a INFisi não vende diretamente qualquer solução Sage; pelo contrário, ajuda os parceiros a oferecerem aos seus clientes soluções personalizadas e feitas à medida. “O software Sage oferece 100% das funcionalidades a 80% dos clientes potenciais; o nosso papel é criar funcionalidades para os 20% de clientes que necessitam de funções muito específicas, mas que fazem a diferença entre ficarem com uma boa solução e outra que é a perfeita para aquilo que pretendem.”

Manuel Anjos olha para o posicionamento da sua empresa no meio do triângulo Sage>Parceiro>Utilizador. “Um ERP é, tradicionalmente, uma solução horizontal e, mesmo que no caso da Sage haja imensas possibilidades de ajuste às necessidades do utilizador, existem muitos mercados verticais que carecem de soluções mais personalizadas para cenários específicos”, explica o responsável da INFisi, que dá como exemplo as soluções que a empresa já criou para áreas industriais, controlo de produção, gestão de resíduos, “picking”, WebServices  ou assistência técnica.

“Tudo o que implementamos segue a API e todas as regras definidas pela Sage”, garante Manuel Anjos. “Além disso, temos sempre o maior cuidado em seguir também as convenções da interface da Sage, desde o aspeto gráfico aos atalhos de teclado, de forma a evitar ao máximo ajustes dos utilizadores às soluções que criamos”.

A base das implementações da INFisi é, sobretudo, a plataforma Sage 100c. E Manuel Anjos sente que é uma solução perfeita: “Claro que existe concorrência neste mercado! Mas os produtos Sage são fiáveis e confiáveis – além de que, dado o nosso background, é a solução que melhor dominamos e com a qual, até emocionalmente, gostamos de trabalhar.”

 

O parceiro do parceiro

“Complementamos o seu software de gestão” é a palavra de ordem da INFisi e a frase que melhor define o trabalho e abordagem da empresa. Manuel Anjos explica que, longe de concorrer com os parceiros Sage, a sua empresa é o parceiro do parceiro: “já houve até casos em que sugerimos a mudança para Sage de forma a mais facilmente podermos implementar a solução de que o cliente necessitava. Ajudamos a vender Sage para quem ainda não conhece a solução e contribuímos para fidelizar quem já é cliente, ao oferecermos soluções à medida”.

“Não somos concorrentes de nenhum Parceiro pela simples razão de que não vendemos software Sage”, esclarece Manuel Anjos. “Pelo contrário, somos coadjuvantes dos parceiros e ajudamo-los a vender. Além disso, temos ainda outra vantagem: com a nossa implementação, ajudamos a Sage e o parceiro a fidelizarem o cliente final. Porque um cliente que adquire uma solução especifica para funcionar sobre Sage vai certamente pensar duas vezes antes de mudar, uma vez que isso representa um custo que pode ser muito elevado – quer diretamente, quer indiretamente, porque as mudanças num software que é usado por muita gente numa empresa tem sempre um impacto muito profundo no trabalho das pessoas.”

Curiosamente, e apesar do Sage 100c ter sido criado já a pensar em implementações na nuvem, com impacto negligenciável na infraestrutura de TI dos clientes, todas as soluções até agora têm sido instaladas on-premise. “Enquanto as grandes empresas, depois de alguma hesitação, já usam soluções na nuvem sem qualquer problema, o mesmo ainda não acontece nas PMEs Portuguesas”, admite Manuel Anjos, que considera, no entanto, que é natural que essa transição venha a acontecer num futuro próximo.

 

Saiba mais sobre a INFisi em www.infisi.com.