Tendencias

Conciliação da vida profissional e familiar, a nova chave para atrair talentos

77% das grandes empresas já possuem medidas que ajudam a equilibrar a vida pessoal e profissional, algo que é cada vez mais valorizado pelos funcionários.

Atrair e reter talentos sempre foi uma prioridade nas empresas. Embora o salário continue a ser uma das questões mais valorizadas pelos candidatos, os tempos mudaram e o dinheiro já não é tudo. Um dos pontos estratégicos para assegurar a lealdade ao trabalhador, e um dos mais valorizado atualmente, é a conciliação do trabalho com a vida pessoal. As grandes empresas já estão conscientes da mudança e 77% delas já implementaram alguma medida de conciliação, segundo o relatório anual Infojobs/ESADE, relativo ao mercado ibérico.

 

As medidas mais apreciadas pelos funcionários

Estas são algumas das medidas mais difundidas e apreciadas pelos inquiridos do estudo:

  • Flexibilidade de tempo: esta é a iniciativa mais simples de implementar e a mais difundido entre as empresas (76% de respostas favoráveis) sobretudo as criativas.
  • Permitir acompanhar os parentes a consultas médicas: é a segunda medida de conciliação mais realizada (implementada por 54% das empresas inquiridas).
  • Dias-extra de férias: apenas 38% das empresas implementam esta medida que visa recompensar o desempenho através de dias-extra de férias. A dificuldade é maior entre as PMEs que têm um quadro de pessoal mais reduzido.
  • Jornada intensiva às sextas-feiras: apenas 36,5% das empresas instituíram esta prática, muito popular em Espanha, que consiste em começar a jornada de trabalho mais cedo e em sacrificar o período de almoço, de modo a sair por volta das 15h.
  • Autorizações para o cuidado pessoal da família: 36% das empresas contemplam esta medida; enquanto 58% dos funcionários consultados enfatizam a importância de ter liberdade de horário para atender a temas pessoais ou familiares.
  • Jornada intensiva nos meses de verão: apenas 34% das empresas oferecem esta prática (alargar as jornadas intensivas a todos os dias da semana durante os meses de junho e agosto), admitindo que é muito difícil de implementar.
  • Teletrabalho: as vantagens desta opção parecem ser evidentes a verdade é que apenas 30% das empresas inquiridas a oferecem aos seus funcionários.
  • Redução de horário por estudos: é a oitava medida mais implementada, disponível em 16% das empresas inquiridas

 

As mais difíceis de implementar pelas empresas

No lado oposto, encontramos medidas que, embora muito apreciadas pelos funcionários, parecem ser mais difíceis de implementar nas empresas. Apenas 7% oferecem mais dias de licença maternidade e paternidade do que os estipulados na lei e apenas 2% têm assistência infantil no local de trabalho. De fato, mais da metade das empresas inquiridas no estudo (55%) reconhecem que a puericultura é a medida mais difícil de implementar, seguida pela concessão da jornada intensiva de trabalho (40%) e o teletrabalho (34% ).

“Não podemos esquecer que os horários flexíveis de trabalho, jornadas intensivas de verão, programas de formação durante as horas de expediente ou o teletrabalho são práticas que não beneficiam apenas os funcionários, mas também as próprias empresas. As medidas de conciliação aumentam a produtividade, dado que favorecem a concentração, a motivação e a redução do stress. Além disso, melhoram o ambiente de trabalho e fidelizam o talento”, recorda Neus Margallo, uma das responsáveis do estudo.

 

Governo português aprova novo programa

O Programa “3 em Linha”, apresentado publicamente pelo Governo no 5 de dezembro, visa promover um maior equilíbrio entre a vida profissional, pessoal e familiar, como condição para uma efetiva igualdade entre homens e mulheres e para uma cidadania plena. A importância desse equilíbrio é reconhecida no Pilar Europeu dos Direitos Sociais como uma das condições justas de trabalho. O programa visa melhorar o índice de bem-estar, no indicador “Balanço vida-trabalho” (INE), que tem vindo a decrescer desde 2011.

Segundo o documento apresentado pelo Governo, o Programa “3 em Linha, de conciliação profissional, pessoal e familiar”, “favorece a diminuição do absentismo, o aumento da produtividade e a retenção de talento, contribuindo, também, para a sustentabilidade demográfica. Trata-se de uma mudança cultural que exige convocar toda a sociedade e assumir um compromisso coletivo com medidas de impacto a curto, médio e longo prazo”.

O programa está dividido em 4 eixos e inclui 33 medidas, resumidas aqui.