Opinião

Cinco tendências que marcarão o mercado de ERP em 2019, por Robert Sinfield, vice-presidente de ERP da Sage

As empresas de hoje contam com todos os tipos de software para ajudá-las a crescer e a maximizar a sua produtividade da maneira mais eficiente possível, desde os processos de pagamentos, à geração de business intelligence e à gestão das interações com os clientes.

Uma das ferramentas mais importantes é o software de ERP (enterprise resource planning), que tem passado por grandes mudanças. Dos meros sistemas monolíticos de requisição de materiais (MRP) os ERP evoluíram para a integração plena de todos os processos essenciais para gerir uma empresa, proporcionando informações em tempo real. O mercado global dos ERP não mostra sinais de desaceleração e, no entender da SAGE, existem cinco pontos-chave que marcarão esta indústria em 2019:

– Tudo está na nuvem: a adoção da nuvem (cloud) cresceu em praticamente todos os departamentos das empresas ao longo de 2018 e a transição para sistemas ERP hospedados na nuvem é cada vez mais clara. A SAGE acredita que o ponto de inflexão, que marcará a sua afirmação definitiva no mercado, será atingido em 2019, estimando-se que este mercado poderá ascender aos 30 000 milhões de dólares em 2021. Acreditamos também que o ERP hospedado na nuvem será a opção padrão para as empresas que procuram crescer e modernizar os seus processos em um ambiente de negócios cada vez mais competitivo.

– Mais um passo para a Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning: A inteligência artificial e a aprendizagem automática das máquinas (machine learning) irão desempenhar um papel vital no futuro do ERP. Essas ferramentas oferecem uma ampla variedade de vantagens, em particular a capacidade de automatizar processos, aumentar a eficiência, gerar ideias e melhorar a tomada de decisões. A IA proporciona também mais rapidez na deteção de qualquer anomalia nos dados; auxilia a identificar possíveis problemas antes que eles ocorram; permite o uso de drones que facilitam a gestão de stocks em grandes unidades industriais e, sobretudo, ajudam os responsáveis a tomar decisões mais inteligentes nas operações, logística e fabrico.

Devido a este conjunto de razões, acreditamos que a integração de ferramentas de aprendizagem automática e de IA com os ERP irá expandir-se ao longo de 2019, à medida que as empresas sejam capazes de internalizar a gama de benefícios que elas oferecem.

O ERP, na crista da onda: a emergência da Internet das Coisas (IoT) fará com que os fabricantes invistam mais em soluções periféricas que complementem os ERP, de modo a melhorar e a expandir os seus sistemas centrais e a aumentar a sua produtividade em 2019. Esta tendência simplificará a comunicação entre um número crescente de dispositivos da IoT e a interpretação dos dados e proporcionará uma melhor supervisão das operações da cadeia de suprimentos e uma maior rapidez na tomada de decisões. Também irá gerar mais business intelligence, dado que as empresas poderão passar a monitorar as operações das máquinas em qualquer lugar do mundo e a recolher dados em tempo real que permitam melhorar as operações de manutenção e minimizar os períodos de interrupções.

 

Além destas vantagens, as soluções periféricas baseadas em IoT tornar-se-ão mais acessíveis ao longo dos próximos meses e farão com que cada vez mais fabricantes implementem esta tecnologia em 2019.

– Dados virão de todas as partes: os dados tornaram-se um dos ativos mais valiosos para as empresas. Ter um sistema ERP baseado em dados, que ofereça a capacidade de aceder, analisar e apresentá-los de uma forma que todos os colaboradores possam entender, será mais importante do que nunca em 2019.

Recolher grandes volumes de dados já não será suficiente. Para capitalizar os benefícios operacionais que eles proporcionam, as empresas devem saber utilizar estes dados de modo mais eficientes. Em 2019, as organizações deixarão de apenas coletar dados através do seu sistema ERP e passarão a usá-los para impulsionar as suas operações, responder às mudanças do mercado e, talvez mais importante, definir a sua estratégia futura.

– A emergência do blockchain: embora esta tecnologia ainda esteja numa fase incipiente, acreditamos que assistiremos ao longo dos próximos meses ao surgimento de novos casos do uso do blockchain no ERP, principalmente no que se refere à fabricação. A gestão da cadeia de suprimentos já demonstrou o seu potencial enquanto aplicação antecipada do blockchain ERP, devido à visibilidade e à rastreabilidade que proporciona. No que respeita à visibilidade, os sistemas blockchain ERP permitem acompanhar o caminho de um produto desde o armazém da fábrica até a prateleira do retalhista, eliminando as preocupações com uma eventual perda ou manipulação dos registros. Além disso, os “contratos inteligentes”, associados a códigos criptográficos, geram maior automatização dos processos de negócio.

Em suma, a indústria dos ERP continuará a sofrer mudanças que terão um impacto positivo na produtividade, eficiência e, em consequência, no crescimento de todas as empresas que acompanhem a locomotiva da digitalização. A SAGE prevê que 2019 será o ano da irrupção tecnológica na área dos ERP. sendo necessário que as empresas estejam a par dos inúmeros benefícios que a IA, Machine Learning e blockchain trarão aos seus negócios.

 

Robert Sinfield

Vice-Presidente ERP da Sage