Tendencias

Portugal é o melhor país para viver na Europa

Esta foi a opinião dos expatriados que responderam à sondagem anual da InterNations que avalia os melhores países para se viver e trabalhar segundo indicadores como a qualidade e o custo de vida.

Pelo quarto ano consecutivo a InterNations, uma rede de quase três milhões de expatriados, sediada em Munique, realiza a sondagem Expat Insider entre expatriados, isto é, profissionais qualificados que trabalham há alguns anos fora do seu país de origem. É um grupo de pessoas altamente cosmopolita que marca uma tendência quanto às preferências sobre os melhores países para se viver e trabalhar.

 

5.º melhor do ranking e líder europeu

Os entrevistados de 2017 (13.000 de 166 países) escolheram surpreendentemente o Bahrein como o melhor país para trabalhar (no ano anterior, estava em 19º lugar). Deste país, eles destacaram a capacidade de fazer com que os expatriados “se sintam em casa”. Em segundo lugar ficou a Costa Rica, que lidera a subcategoria Finding Friends, pela facilidade com que as amizades podem ser feitas naquele país. O México fecha o pódio em terceiro lugar, ficando entre os cinco primeiros nas categorias de Facilidade de instalação, Finanças Pessoais e Custo de Vida.

Taiwan ocupa a quarta posição e Portugal segue em quinto lugar, sendo o primeiro país europeu da lista de 2017 da InterNations. Nada menos que 94% dos estrangeiros residentes em Portugal afirmam ser felizes no país. Eles enfatizam que é um país muito acolhedor e mais de 30% dos entrevistados consideram que a maioria dos seus amigos são cidadãos locais. Imediatamente depois, encontramos Nova Zelândia, Malta, Colômbia e Singapura. Espanha fecha as dez primeiras posições, sendo o segundo melhor europeu.

 

A melhor qualidade de vida do mundo

O ranking da InterNations é composto por 43 indicadores, agrupados em várias subcategorias, como a qualidade de vida, facilidade de instalação, vida em família, condições de trabalho, custo de vida, segurança e hospitalidade. Portugal é o melhor país do mundo naquela que é tida como a mais importante, a qualidade de vida, destronando Taiwan, o campeão de 2016. As principais razões apontadas pelos expatriados que justificaram o voto em Portugal são o clima e a disponibilidade de atividades de lazer, sendo também de destacar os critérios da saúde e bem-estar e da natureza e ambiente. Cerca de 77% dos inquiridos consideraram Portugal um país seguro para viver (só a Finlândia teve melhor pontuação) sendo a qualidade das infraestruturas de transportes o ponto mais negativo.

Outro dado importante é que Portugal, a par da Malásia e da Noruega, foi o país do mundo com a maior variação positiva de desempenho (passou de 23.º para 5º mundial) face ao ranking do ano passado. Pela negativa, Austrália, Polónia e Ucrânia foram os três mais desceram. De destacar igualmente a queda de 21 posições do Reino Unido (passou a ser o 54.º da lista) e de 17 lugares dos Estados Unidos (estão em 43.º) devido a fatores como o Brexit e a presidência de Donald Trump, respetivamente. Na lista dos dez piores países para viver e trabalhar como expatriados (entre 188) encontramos a Turquia, Índia, Catar, Ucrânia, Itália, Arábia Saudita e Brasil e, nos três últimos lugares no ranking, Nigéria, Kuwait e Grécia.

Pode visualizar o estudo aqui.